Partido Comunista Chinês avança em sua agenda para enfraquecer os EUA por meio de táticas ardilosas

Movimentos sociais como a promoção da teoria crítica racial, o desfinanciamento do movimento policial e o "despertar", bem como táticas ardilosas como roubo de propriedade intelectual e tráfico de drogas, são usados em uma guerra híbrida irrestrita pelo Partido Comunista Chinês para enfraquecer os Estados Unidos, disse Casey Fleming, CEO da BlackOps Partners.


Hoje, os Estados Unidos estão em guerra com a China e em uma guerra com o Partido Comunista Chinês (PCC), disse Fleming, explicando que “há apenas uma China e é completamente controlada pelo PCC, então você não pode extrair um ou outro.


No entanto, essa guerra é uma guerra híbrida irrestrita, também chamada de “zona cinzenta”, que é “tudo menos que a guerra convencional” destinada a enfraquecer o oponente ou alvo do PCC tanto quanto possível, disse Fleming em uma entrevista recente ao “Crossroads”, programa da Epoch TV.


O regime do PCC propaga para o povo chinês que os Estados Unidos são “o grande mal do mundo que deve ser derrotado, para que a China tenha seu destino final, que é governar o mundo”, disse Fleming. “Dizem que somos as trevas, representamos o diabo.


O PCC é “um inimigo” dos Estados Unidos porque chama os Estados Unidos de inimigos, acrescentou.


Fleming comparou a zona cinzenta à estratégia usada pelo PCC contra Taiwan: “enfraqueça seu inimigo… não queremos morte e destruição; nós apenas seguiremos em frente e nos juntaremos à China.'”

Quer ler mais?