Justiça da Colômbia dá ordem de prisão domiciliar para o presidente Iván Duque

O fundador do Foro de São Paulo, o ex-presidiário Lula pediu recentemente apoio a Gustavo Petro, candidato comunista que disputa o pleito eleitoral colombiano.

O presidente do México, país que sediou o encontro do Foro de São Paulo com a presença inédita do Partido Comunista Chinês, também saiu em campanha para Petro.

Dias depois, um tribunal de Justiça regional da Colômbia deu uma ordem de prisão domiciliar contra o presidente do país, Iván Duque, porque ele não cumpriu uma decisão da Suprema Corte do país que determinava que o governo deveria criar uma guarda para proteger um parque nacional.


A Suprema Corte havia decidido que o governo deveria proteger o Parque Natural Nacional Los Nevados. O presidente deveria ter dado ordem para que se criasse uma tropa para cuidar do parque. A alegação fundamenta-se na denúncia de que visitantes roubam plantas e sequestram animais do local. Há também denúncias de que cria-se gado e há plantações dentro do território do parque, o que seria proibido.


A decisão da maior instância de Justiça do país sobre a obrigatoriedade de criar a força de proteção é de novembro de 2020.


A Suprema Corte, na verdade, reiterou uma ordem do tribunal da cidade de Ibagué. Foi esse tribunal que, neste sábado (4) deu a ordem de prisão domiciliar contra Duque.


De acordo com o tribunal da cidade de Ibagué, o parque ainda enfrenta essas ameaças, pois não foi criada uma guarda.