Erika Kokay afirma que houve fraude em 2018

Gazeta do Povo - A deputada Erika Kokay (PT-DF) postou neste domingo (29), no Twitter, que “Bolsonaro não seria presidente se as eleições de 2018 não tivessem sido fraudadas”. Em seguida, escreveu: “Nós não aceitaremos mais nenhum tipo de golpe contra a democracia neste país!”.


O post levou o próprio presidente Jair Bolsonaro a questioná-la na rede social, publicando em resposta um ponto de interrogação.


Antes, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, comentou a postagem. “Aí é DO BEM!!! Sempre pode tudo se vier da facção! Mas experimente simplesmente falar sobre possibilidade de mais transparência se for do outro lado! Tudo pela democracia, não é @STF_oficial e @TSEjusbr ?! Não ouviremos uma declaração ou movimento contra isso, não é impren$a?!”.


Bolsonaro responde a inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por cobrar mais transparência e segurança na votação eletrônica. Passou a ser investigado depois de divulgar vídeos que circulam na internet que apontam fraudes nas eleições de 2018 e 2014. A Corte Eleitoral diz que nunca foi comprovada uma fraude nas eleições com as urnas eletrônicas.


A reportagem enviou à deputada questionamentos para esclarecer sua postagem, mas ela não respondeu à mensagem.


Mais cedo, Kokay publicou na rede social a seguinte postagem: “Militância bolsonarista fatura até R$ 1 milhão com vídeos propagando fake news sobre eleição. Até quando a legislação e as plataformas serão permissivas com o crime? Mentem, ameaçam a democracia e ainda faturam alto? É preciso dar um basta!”.