Colômbia: Comandante das FARC é extraditado para os EUA semanas antes da eleição presidencial

Martin Leonel Perez Castro, também conhecido como “Richard”, foi extraditado na manhã do dia 10 de junho de 2022 da Colômbia para os Estados Unidos para enfrentar acusações no Distrito Leste de Nova York por liderar uma organização criminosa e participar de uma conspiração internacional de fabricação e distribuição de cocaína. De acordo com a acusação, documentos judiciais e declarações feitas no tribunal, o réu era o comandante da 30ª Frente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), um grupo que operava no sudoeste da Colômbia. O réu está programado foi indiciado perante a juíza Vera M. Scanlon dos Estados Unidos.


Breon Peace, procurador dos Estados Unidos para o Distrito Leste de Nova York, Anne Milgram, administradora do Departamento de Repressão às Drogas (DEA), e Thomas Fattorusso, agente especial executivo responsável pela Investigação Criminal da Receita Federal, New York Field Office (IRS-CI), anunciou a extradição e acusação.


Conforme alegado, o réu era um líder sênior das FARC e usou a violência armada para proteger uma operação sofisticada que produziu e distribuiu milhares de quilos de cocaína em escala global, tudo para ajudar a financiar a missão do grupo paramilitar de derrubar o governo da Colômbia”, afirmou o procurador da paz dos Estados Unidos. “O Departamento de Justiça está comprometido em trabalhar com nossos parceiros internacionais para desmantelar organizações de tráfico de drogas destrutivas, especialmente onde o tráfico de drogas é usado para financiar violência e terrorismo.”


O Sr. Peace estendeu seu agradecimento ao escritório do DEA em Bogotá, Colômbia, ao Serviço de Marechais dos Estados Unidos, ao Departamento de Estado dos Estados Unidos, ao Escritório de Assuntos Internacionais do Departamento de Justiça, à Seção de Narcóticos e Drogas Perigosas da Divisão Criminal (NDDS) Adidos Judiciais em Bogotá, a Polícia Nacional da Colômbia, o Governo da Colômbia, o Departamento de Polícia da Cidade de Nova York (NYPD) e a Polícia do Estado de Nova York (NYSP).


O administrador do DEA, Milgram, disse: “As acusações de hoje demonstram que esse violento grupo de narcotráfico importou toneladas de cocaína da Colômbia para a cidade de Nova York. Por meio de esforços dedicados e incansáveis, o DEA e nossos parceiros globais de aplicação da lei levaram esse membro sênior das FARC à justiça nos Estados Unidos.